Tratamentos

Preenchimento de rugas e sulcos

Preenchimentos consiste na aplicação de um produto através de injecção por debaixo das camadas mais superficiais da pele, de modo a preencher uma ruga, um sulco, uma depressão ou uma cicatriz e assim atenuá-las. Ao ser introduzido, o produto preenche espaço e estimula o organismo a produzir colagénio nessa região. Os nomes utilizados no texto, referem-se ao produto químico. Existem várias marcas comerciais no mercado, para o mesmo produto químico.

Ao longo dos anos têm aparecido inúmeros produtos, que após a euforia inicial, são abandonados pelo risco de complicações, é portanto uma área em constante evolução. Todos os anos aparecem novidades. Longe vai o tempo das injecções de "silicone" e de colagénio, o primeiro porque o risco de complicações e maus resultados era enorme e o segundo porque durava muito pouco tempo, em cerca de 6 meses o efeito desaparecia. Existem produtos definitivos e não definitivos ou temporários. Antes de realizar um preenchimento deve estar muito bem esclarecido à cerca do produto usado.

Não confunda Botox com preenchimento, são tratamentos diferentes e complementam-se muitas das vezes.

Dentro dos produtos não definitivos actualmente, o produto de eleição é o ácido hialurónico. O ácido hialurónico é um produto que existe naturalmente no nosso organismo e foi produzido em laboratório para poder ser injectado. Tem um aspecto de gel transparente e existe em várias concentracções, as quais têm indicações específicas de acordo com a profundidade a que se quer injectar e o local e consequentemente com o efeito que se quer obter. Este produto pode ser equiparado a uma fonte de juventude para a sua pele, se aplicado logo aos primeiros sinais de envelhecimento e ainda melhor se for aplicado antes de começar a notar estes sinais, pois como tal funciona quase como preventivo. Quando se fala em aplicação, refere-se à injecção e não aplicação de creme ou gel. Estes não têm qualquer efeito como preenchimento.

O ácido hialurónico tem a vantagem de ao ser reabsorvido pelo organismo em cerca de 9 a 12 meses, permitir em casos de excesso de infiltração, que ao fim desse tempo, tudo volte a ficar quase igual ao que era anteriormente. Quero dar ênfase ao quase, pois mesmo que não volte a injectar o ácido hialurónico dentro de 2 a 3 anos, a sua ruga, o seu sulco nunca voltam a ficar tão pronunciados como estavam antes da infiltração, porque o ácido hialurónico ao ser injectado provoca debaixo da pele uma inflamação com estimulação das células produtoras de colagénio e fibras, criando como que uma fibrose/cicatriz na camada profunda da pele, que dá suporte e evita assim o aparecimento ou agravamento de rugas ou sulcos. Temos portanto o efeito preenchimento e o efeito indirecto de estimulação de produção de fibras. Não existe outro produto com este efeito benéfico e ao mesmo tempo tão seguro.

O edema após as infiltrações é normal, pode durar 2 a 8 dias, depende de cada caso, tem a ver com a tal inflamação descrita acima e portanto é benéfico.

Outro produto mais recente e portanto ainda em fase de avaliação e seguimento, é o poliprolactone e a hidroxipatite de cálcio. Este produto é um gel com microesferas, idêntico ao de certos fios de sutura, as quais serão reabsorvidas entre 1 a 3 anos.

Produtos semi-definitivos, são produtos que têm um componente definitivo, micro esferas, não reabsorvidos no futuro e um componente não definitivo que é reabsorvido. Na prática em termos de risco de complicações, funcionam como os produtos definitivos. Estão cada vez mais em desuso.

Os produtos definitivos são produtos que ficam depositados para sempre, um exemplo é o polimetilmetacrilato, produto constituinte do cimento ósseo ou implantes dentários. Habitualmente se mal aplicados podem dar um resultado pouco natural e pior de tudo, mesmo correctamente aplicados podem anos mais tarde, quando menos espera, iniciar um processo de rejeição, com aparecimento de nódulos vermelhos e dolorosos na pele, por vezes difíceis de controlar. Claro que podemos também ter em raros casos nódulos vermelhos com o ácido hialurónico, nomeadamente em reacções cruzadas com certos medicamentos, infecções, mas são perfeitamente controláveis e limitados no tempo.

As indicações para preenchimentos incluem as rugas da testa, glabela, periorbitais, olheiras, contorno malar, mandibular e do nariz, aumento e contorno dos lábios, rugas perilabiais, sulcos nasogenianos, aumento do queixo, cicatrizes, rugas e perda de volume do dorso das mãos, rugas do decote.

Deve informar o seu médico se sofre de doença auto-imune, alergia conhecida a qualquer produto de infiltração feito anteriormente, diabetes mal controlada, pois o risco de complicações é maior. Assim como, se estiver a tomar anti-coagulantes ou AAS, nestes casos, o risco de equimoses grandes e de duração superior a uma semana é maior. A aplicação destes produtos está contra-indicado durante a gravidez, período de amamentação e em cima de lesões de acne activo.

De ressaltar o elevado risco de complicações quando se injecta um produto mesmo que seja extremamente seguro, como o ácido hialurónico, em áreas onde se injectaram no passado produtos definitivos. O ácido hialurónico, pode como que despertar uma reacção tipo alérgica do produto definitivo, mesmo que este último tenha sido injectado há muitos anos. Deve portanto informar sempre o seu médico e não omitir a realização de preenchimentos no passado e deve sempre esclarecer que produto foi infiltrado.

Por vezes é decepcionante para o paciente, quando me recuso a infiltrar com ácido hialurónico um lábio ou sulcos que anos antes foram infiltrados com produtos definitivos, mas o risco de despertar inflamação do produto definitivo com formação de nódulos, é muito grande. Estes casos têm de ser bem equacionados e discutidos com o paciente, em termos de benefício/ risco.

A aplicação é geralmente indolor ou pouco dolorosa, dependendo da região e da sensibilidade individual à dor. O seu médico pode aconselhar a aplicação de anestésico tópico ou mesmo infiltração anestésica regional, dependendo da área a infiltrar. Demora cerca de 30 minutos. Pode maquilhar-se a seguir. O gelo só deve ser feito durante o procedimento, tendo em vista menos sangramento. Após não recomendo pelo motivo que já expliquei acima. Após o  preenchimento não deve massajar a zona. É natural durante as primeiras semanas sentir nódulos, vermelhidão, inchaço e equimoses. Não deve fazer gelo ou tomar anti-inflamatórios, estes sinais reactivos ao traumatismo que não deixa de ser uma infiltração, resolvem naturalmente uma semana. Quando os sinais inflamatórios persistem mais de uma a duas semanas, deve informar o seu médico. A maquilhagem vai ser a grande arma de camuflagem destes sinais. Deve evitar sol directo na área infiltrada, sauna, banho turco na semana a seguir à infiltração. No caso de produtos definitivos recomenda-se tomar um antibiótico durante uma semana, pois o risco de infecção é maior. Não deve realizar peelings profundos, laser ou dermoabrasão na área de pele que foi infiltrada, durante cerca de 3 semanas, pelo perigo de inflamação e infecção do produto.

A manutenção  deve ser feita de acordo com o tipo de produto. A durabilidade de cada produto varia consoante o produto, o organismo e a área tratada. Pessoas diferentes absorvem diferentemente os produtos. Quando se infiltra com ácido hialurónico a primeira vez, o retoque ao fim de um a dois meses, faz perdurar o efeito mais tempo. Por exemplo ao realizar preenchimento dos sulcos nasogenianos, gosto de reforçar passado um mês mais superficialmente. Nos lábios também, visto que o lábio é a zona onde o ácido reaborve mais rapidamente. Apos o reforço deve fazer manutenção entre 9 a 12 meses para o ácido hialurónico . Quando se utiliza o ácido muito superficial, tal é o caso da mesoterapia ou na derme superficial, o qual é menos denso e  mais fluído, funcionando
como hidratante da pele, sugere-se um mínimo de 3 aplicações a cada 3-4 semanas.


voltar