Artigos

Para que serve a Bioplastia? Conheça as vantagens deste método minimamente invasivo

Procurada tanto por mulheres como por homens, a Bioplastia consiste em remodelar os contornos do rosto através de injeções de produtos biocompatíveis com o corpo humano. Assim, graças a um método minimamente invasivo e sem necessidade de cortes ou bisturi, esta técnica inovadora permite uma maior harmonização facial, bem como a correção de algumas deformações.

Com resultados imediatamente visíveis, a Bioplastia pode ser realizada por etapas e pode ainda ser acompanhada pelo paciente ao espelho, visto que a única anestesia que é, por vezes, utilizada é a local.

 

  • Para que serve a Bioplastia?

A Bioplastia pode ter inúmeras aplicações! Por exemplo, pode ser utilizada para reparar os contornos da face que se vão perdendo com o envelhecimento, devido à perda de osso, músculo e gordura, ou para adiar a necessidade de cirurgia em pequenas correções de flacidez do rosto. Porém, importa referir que não substitui o Lifting Cervico-Facial quando a flacidez está acentuada.

Além disso, a Bioplastia serve ainda para harmonizar a face, possibilitando o aumento da região malar e do mento, de modo a que estas fiquem mais proporcionais às restantes estruturas do rosto, nomeadamente o nariz. Por fim, permite também remodelar o dorso nasal, corrigindo ou disfarçando pequenas imperfeições congénitas, traumáticas ou mesmo irregularidades após uma rinoplastia.

 

  • Que tipos de produtos podem ser utilizados para uma Bioplastia?

Os produtos atualmente utilizados em Bioplastia, tais como o Ácido Hialurónico, Ácido Polilático ou Policaprolactona, são produtos seguros com riscos mínimos de complicações. Além disso, garantem um resultado consistente, duradouro e natural, se realizado por um profissional experiente. 

 

  • O que acontece após a realização de uma Bioplastia?

É normal que, após o tratamento, possa ocorrer um ligeiro edema e equimose durante uma semana. A bioestimulação da produção de colágeno vai ocorrer nas semanas seguintes ao tratamento, com estabilização do resultado entre a sexta e a oitava semana, altura em que pode ser necessário uma nova sessão de modo a consolidar ou melhorar o resultado.



voltar